Blog 123

#FocaNaMochila: Bate papo com Paula Völker

Portugal_Porto

 

Há pouco tempo falamos sobre as dores e as delícias para as mulheres que viajam sozinhas – e a maior delícia de todas, claro, é nunca parar de viajar, sozinha ou acompanhada. É esse o lema da Paula Völker, mineira de Belo Horizonte e passaporte muitas vezes carimbado. Ela é daquelas pessoas que junta uma grana, planeja e pesquisa bastante antes de escolher os detalhes da viagem, seja ela com as amigas, com os familiares ou em voo solo. Resumindo, gente como a gente, que segura as pontas um mês ou outro para realizar sonhos e não deixar o orçamento final no vermelho.

Nesse bate-papo ela, que trabalha como consultora em uma empresa de TI, conta sobre os lugares onde viveria, o aperto que passou para entrar no Canadá (mesmo com visto), o dia em que foi parar por acidente na primeira classe e outras surpresas agradáveis que teve nos lugares em que esteve. Ela também dá dicas de aplicativos úteis, destinos para a lua de mel e ensina o macete para fazer sair do papel a viagem dos sonhos.

Nossa dica é ler tudo, porque ela já conhece 17 países. Ou seja: sabe bem do que está falando. 😉

 

Como você descobriu que ama viajar?

Isso a gente descobre viajando. Não tem outra maneira. Quando você começa a viajar – independente de ser para o exterior ou passear pelo Brasil mesmo – e percebe o tanto que faz bem para o corpo e para a mente conhecer coisas novas, descobrir lugares diferentes, culturas diferentes, você nunca mais quer parar. E não faz mal ir mais de uma vez no mesmo lugar, sempre tem algo novo para explorar.

 

Além do Brasil, você conheceu 16 países (Alemanha, Argentina, Áustria, Bélgica, Canadá, Chile, Espanha, Estados Unidos, França, Holanda, Inglaterra, Irlanda, Itália, Portugal, República Tcheca e Uruguai) em 30 anos de vida. Como você junta dinheiro para viajar tanto?

Meu trabalho é minha principal fonte de renda para viagens. Guardo dinheiro, mas não é apenas para viagem, por mais que de vez em quando ele acabe sendo bem útil.

Viajar é uma atividade que demanda bastante planejamento financeiro. Quem quer guardar dinheiro consegue, basta se organizar. É importante saber quais os seus gastos mensais e quanto sobra do salário do mês, pois a partir desse valor você vê quanto é possível guardar para fazer um pé de meia. Gosto de deixar programada a retirada de um valor mensal para colocar na poupança ou em outro investimento. Também tenho cofrinhos para guardar moedas e ter um dinheirinho a mais para as viagens.

 

Qual o destino que recomenda para quem nunca viajou antes?

Acho que um lugar bacana pra começar é viajar aqui por perto, ainda mais se a pessoa não for muito fã de voar e quiser evitar voos longos. O Chile é um país lindo e cheio de coisa legal para conhecer, em um voo de três horas de distância de São Paulo. Mas, se a pessoa quiser ir um pouquinho mais longe, Portugal é uma ótima escolha. A comunicação é tranquila, então não existe motivo para ficar tenso na hora de passar na imigração por não falar inglês ou espanhol. Além disso, é um país mais em conta, a com muita cidade interessante para visitar.

 

Itália_Roma

Paula curtindo a Itália com as amigas viajantes

 

 

Você voltaria a todos os países que conheceu? Viveria em algum deles?

Voltaria a todos! Viveria fácil em Portugal e na Itália. Portugal é simplesmente uma delícia de conhecer. Além de ser lindo, com cidadezinhas cheias de história, lá você come bem, a comunicação é bem tranquila, o povo é educado. Gosto muito de ir para lá e descobrir coisas novas. E a Itália é tudo de bom. Melhor cozinha, um povo alegre e receptivo, cidades mais que lindas… em algumas delas é possível sentir que você entrou em um livro de história. Acho essa sensação algo indescritível.

 

Com o passaporte tão carimbado, dá para definir quais são as melhores companhias de viagem?

As melhores companhias de viagem são aquelas que estão com objetivos mais parecidos com os seus. Fazer uma viagem em que você quer mais passear, conhecer lugares novos e tudo mais com alguém que só queira saber de balada, ou compras, não dá certo. A pior coisa que pode acontecer é você arrumar uma companhia de viagem que mais te atrapalha do que acrescenta.

 

Qual o maior perrengue pelo qual já passou mundo afora?

Quando fui ao Canadá sozinha, passei apertada na imigração. O agente que me atendeu estava meio mal humorado, fez mil perguntas e, mesmo mostrando tudo – passagem de volta, reserva de hotel, aviso de férias etc. -, ele cismou comigo e me mandou para a “salinha”. Entrei lá suando, mega tensa. Tinha acabado de sair de um voo de 14 horas, estava exausta. Entrando na salinha, vi que de “inha” ela não tinha nada. Era uma sala bem grande, com várias baias e uma fila considerável. Acho que demorou uma meia hora para que eu fosse atendida. Nesse meio tempo milhares de teorias rondaram minha cabeça, nenhuma delas com final feliz.

Quando me chamaram, fui atendida por um senhor muito simpático. Mesmo tensa, consegui destravar o inglês e respondi tudo o que ele me perguntou. Quando ele questionou o motivo de eu querer conhecer o Canadá, contei que era apaixonada por hóquei no gelo e planejei a viagem para ver um jogo do Toronto Maple Leafs. Acho que nesse momento ganhei a simpatia dele, uma vez que ele era fã do time. Depois disso relaxei e a conversa fluiu tranquila. Contei qual era o roteiro, quantos dias ia ficar em cada cidade, como ia de uma cidade para a outra, onde ia me hospedar. Tudo detalhadinho. Aí ele me liberou e eu finalmente soltei aquele ar que estava preso dentro de mim e fui correndo buscar logo minha mala. Um alívio danado.

 

Inglaterra_Londres

Parede que homenageia Star Wars em Londres

 

E uma surpresa inesquecível, já teve?

Da última vez que fui para o Chile tivemos uma surpresa linda na volta, pois a empresa aérea nos deu um upgrade para a classe executiva. Estava sentada mega feliz na minha poltrona quando chega uma aeromoça e me fala que a mãe da menina que estava sentada ao meu lado gostaria muito de viajar perto da filha e me perguntou se eu não me importaria de trocar de lugar com ela. Sabe onde a mãe da menina estava? Na primeira classe. Dei um tchauzinho para os meus pais (que estavam na fileira da frente) e fui saltitante trocar de lugar com a moça. Viajei me sentindo a cara da riqueza, numa mega poltrona que virava uma cama, tomando champanhe.

 

Nas andanças você conheceu algum destino romântico para lua de mel?

Acho que a Itália é um destino sensacional para lua de mel, independente do tipo de viagem que o casal queira. Dá para fazer um roteiro mais romântico ou mais histórico, um para aproveitar praias lindas ou curtir um friozinho no meio das montanhas. É um país que tem um pouco de tudo e que se encaixa em qualquer gosto.

Mais perto tem o Uruguai, também uma boa pedida. Tem o friozinho bom para quem gosta, Punta del Este tem praias lindas para quem curte o sol, e também existem vinícolas muito boas para os amantes de vinho. 

 

Quais itens são companheiros indispensáveis de mochila?

O celular está sempre comigo, mesmo que no modo avião, para registrar uma foto daquele entardecer maravilhoso, anotar o nome de um restaurante bacana que você descobriu, conseguir se locomover (um chip com internet salva vidas)… 

Um adaptador de tomada sempre salva vidas também. Ainda mais que as tomadas brasileiras têm um padrão que só existe por aqui, né?

 

Minas Gerais_Tiradentes

Tiradentes – MG também fez parte do roteiro de Paula

 

E os aplicativos que tem que ter antes de despachar as malas?

Tem alguns aplicativos que uso muito antes e durante as minhas viagens. O primeiro é o Booking.com, pois faço muitas reservas de hospedagem por ele. O segundo é o Seat Guru, pois ele me ajuda muito na hora de escolher o lugar no voo (ele mostra quais os melhores lugares de cada tipo de avião, os que não tem poltrona reclinável, os mais barulhentos… acho muito útil). E, por fim, o TripAdvisor, para ajudar a descobrir um bar, lanchonete ou restaurante bacana na cidade que você está.

 

Qual a principal dica para planejar a viagem dos sonhos?

Pesquise, pesquise e pesquise.

Não tem nada mais gostoso do que descobrir o destino e definir um roteiro. O que sempre recomendo para qualquer pessoa é ficar no mínimo três dias numa cidade, pois a pior coisa que pode acontecer é você ficar pingando de cidade em cidade e não conseguir aproveitar nada. Claro que fazer um bate e volta numa cidadezinha pequena próxima é super válido, mas não precisa ser em todas. Outra coisa bacana é se programar para poder realmente curtir a viagem sem preocupações, como ver o clima do lugar que você vai e se preparar para ele, juntar dinheiro para poder aproveitar tudo, não ficar convertendo a moeda sempre. Como diz uma amiga, quem converte não diverte! E o principal de tudo: escolher uma boa companhia de viagem (mesmo que essa companhia seja você mesma).

 

Qual é seu próximo destino?

Vixe, essa é difícil! Ainda não tenho nada certo, mas já tenho algumas opções: Cidade do México, Mendoza ou, então, ir para a Europa de novo. 

Comentários


[fbcomments]