Blog 123

Como planejar uma viagem incrível

Como planejar uma viagem incrível

Poucas coisas na vida podem nos proporcionar mais prazer do que viajar. Conhecer novos lugares, novas pessoas, novos sabores é o que move a vida, mesmo daqueles mais introspectivos, que adoram o sofá de casa. Todo mundo curte fazer algo diferente, que mude (pelo menos um pouquinho) sua vida, e viajar responde a essa ansiedade como nenhuma outra coisa que a gente conhece hoje em dia.

Contudo, fazer uma viagem inesquecível não depende apenas da sua capacidade de sonhar: é preciso muito planejamento, do emocional ao financeiro, antes de entrar em um avião e partir. Seja por dez dias ou dois anos, para mochilão ou um ano sabático, uma semana no exterior ou seis meses de intercâmbio, é necessário saber, com bastante antecedência, qual tipo de esforço a experiência vai te custar.

A palavra-chave do planejamento, então, é justamente “antecedência”: se você decidir hoje que quer viajar daqui quinze dias, é bem provável que não encontre preços interessantes para seu empreendimento – e, dependendo do local escolhido, existe toda uma burocracia por trás da compra das passagens aéreas que pode tanto garantir quanto melar sua viagem. Não existe um limite “oficial” de tempo de antecipação à viagem para começar o planejamento, mas quem está mais acostumado a viajar diz que o mais indicado é começar a se preparar com pelo menos seis meses de antecedência à data da viagem. Se você tem esse tempo, veja as nossas dicas para planejar a viagem dos seus sonhos e diminuir a possibilidade de frustração e problemas no decorrer do percurso.

Passo 1: escolher o destino (e checar suas burocracias)

Quem tem o sonho de viajar geralmente já sonha em ir para algum lugar específico. Com o destino escolhido é preciso ver alguns detalhes sobre ele, como se você precisa de passaporte ou visto para entrar no país. No caso de destinos nacionais ou para outros países do Mercosul, sua carteira de identidade já é o suficiente para garantir sua entrada (tenha em mente que a carteira de motorista não é aceita como documento oficial de identidade para sair do país e a de identidade deve ter no máximo 10 anos desde a data de emissão). Países da Europa geralmente não pedem visto para brasileiros, enquanto os Estados Unidos têm um processo burocrático para conceder o visto que pode levar algum tempo – e consumir algum dinheiro. Tente começar o planejamento para viagens a lugares que dependem de visto com um ano de antecipação.

Passo 2: pesquisar a melhor época

Alguns destinos serão mais atrativos em determinada época do ano, enquanto outros podem ficar muito mais caros justamente por isso. Veja qual é o melhor custo-benefício para a viagem que você pretende fazer. Se quer estar em Bariloche durante a neve você pode pagar um pouco mais do que pagaria se fosse em pleno verão, mas se a experiência que você quer é justamente a de inverno, vale a pena pagar mais caro. Agora, se o plano é ir para a Disney, a dica é evitar o parque nos meses de pico, por causa das férias escolares, principalmente junho e julho, onde as viagens ficam mais caras por conta do verão americano.

Passo 3: pesquise as passagens e os hotéis

Se você já sabe para onde quer ir e quando, está na hora de pesquisar passagens aéreas e hospedagem, produtos que podem apresentar alta diferença de preços entre uma empresa e outra, principalmente para os voos. Se suas datas de ida e volta são flexíveis, faça simulações de compra para descobrir o melhor custo benefício, principalmente em sites que te mostram os preços de várias companhias aéreas ao mesmo tempo, como o nosso.

Passo 4: prepare as malas

Ao viajar de avião temos que nos atentar para o peso das malas, que não podem ultrapassar o limite de peso para voos nacionais e internacionais. É bom se atentar à passagem comprada para ver se alguma conexão te impede de levar malas mais pesadas, mesmo em voos internacionais. Para evitar pagar taxa de bagagem extra (que é cobrada em dólar) dê prioridade a uma organização mais enxuta, que vai depender do número de dias que você vai passar fora, e só leve o que é necessário mesmo. Um exemplo: se a hospedagem é um hotel, não precisa levar toalha. Se a viagem é turismo de aventura, deixe o salto alto em casa. Casacos mais pesados podem ser levados com o passageiro e colocados no compartimento de bagagem de mão.

Passo 5: viaje!

Você se antecipou, pesquisou, encontrou os melhores preços e fez suas malas direitinho? Agora é hora de ver os últimos detalhes, como aquisição de moeda estrangeira e seguro-saúde, se for o caso, e partir para o aeroporto. Viajar é uma das melhores coisas do mundo, e não há nenhum motivo plausível para que você deixe de fazer a viagem dos sonhos. Para torná-la realidade, pode contar com a gente, pelo menos para garantir o melhor preço em passagens aéreas.

Só não se esqueça de contar tudo pra gente quando voltar, na nossa página no Facebook!

Comentários


[fbcomments]