Blog 123

COMO OS ANIMAIS SÃO TRANSPORTADOS NO AVIÃO?

Existe uma zona muito nebulosa nas viagens em família quando o assunto é transportar animais em avião. Afinal de contas, para muita gente o bichano em trânsito é, de fato, um membro da família – e torna-se um pouco esquisito imaginá-lo viajando no porão da aeronave, por exemplo.

A dúvida de se os pets estarão seguros, bem acomodados e confortáveis durante a viagem, principalmente as mais longas, faz com que as famílias optem por deixá-los em hotéis ou na casa de parentes, mesmo que fosse completamente tranquilo encaixá-lo na programação do destino escolhido.

Antes de tomar uma decisão definitiva quanto aos seus pets durante sua próxima viagem, tem algumas coisas que você precisa saber para não fazer a escolha errada.

Avise a companhia aérea com antecedência

Já te contamos nesse texto aqui que a primeira providência que o dono de um animal de estimação precisa tomar para levar seu pet no voo é solicitar o serviço com antecedência. Ou seja: não adianta chegar no saguão do aeroporto com um cachorro, gato, periquito ou hamster a tiracolo que, infelizmente, você não vai conseguir comprar um assento na sala de embarque.

Mesmo porque, na maioria das vezes, os bichinhos viajam mesmo é no porão – que, não se preocupe, é totalmente climatizada para esse tipo de… público.

Geralmente podem viajar na cabine os animais de pequeno porte, que caibam em uma caixa menor (as dimensões podem ser conferidas com sua companhia aérea no ato da solicitação desse serviço de traslado) e estejam limpos e cheirosos. Isso mesmo: animais que tenham odores desagradáveis vão ter um downgrade em sua passagem, porque, na impossibilidade de se abrirem as janelas, a empresa não pode colocar o conforto dos outros passageiros em risco.

De banho tomado e com a caixa de transporte – que você deve providenciar – em mãos, a companhia vai solicitar os documentos veterinários do bichinho para que ele se torne apto a ser transportado. Não importa se você está levando um filhotinho super dócil de cachorro ou uma cobra venenosa: ninguém do reino animal (exceto o homem, é claro) vai entrar no voo sem comprovar suas vacinas, tratamentos recentes e condições de voo.

É importante não se esquecer que o avião é um meio de transporte peculiar, com condições diferentes de pressão, e que seu animalzinho deve estar bem de saúde para aguentar esse tranco. Às vezes os donos ficam desconfiados das possibilidades de conforto de uma viagem no porão mas se esquecem, eles mesmos, de prover qualidade de transporte aos seus amados amigos.

Não deixe de passar em um veterinário e contar a ele o tipo de viagem que será feito, inclusive se ela envolve muitas horas (viajar de São Paulo para Belo Horizonte é bem diferente de ir de São Paulo a Tóquio, até para um bichinho de estimação) e mudanças de fuso horário.

holiday vacation dachshund sausage dog waiting in airport terminal ready to board the airplane or plane at the gate, luggage or bag to the side

Segurança x Conforto

Se o animal de estimação estiver apto a viajar com você na cabine, ótimo: certifique-se apenas de levá-lo para urinar e defecar antes do voo para não ter imprevistos durante as viagens, especialmente as pequenas (já que é mais difícil controlar esse tipo de coisa nas longas).

Em todos os casos, água e comida especiais podem e devem ser transportadas para o conforto do seu bichinho.

Já se o pet for viajar no porão, é preciso identificá-lo – mas não só falando com a comissária de bordo que o nome dele é Totó. É preciso colocar o nome na caixa de transporte, que deve ser forrada com tapete higiênico. Para evitar que ele sinta fome ou sede durante o voo, pergunte ao veterinário como pode reforçar a energia do bichinho e não embarque muito cedo, já que despachá-lo logo para o porão significa que ele vai ter que esperar por mais tempo até te ver novamente.

Não se preocupe com a segurança do animal no porão, pois ele não chacoalhará entre as malas: presas por cordas e cintos, as caixas se mantém intactas até a chegada do avião no destino. Também não se martirize achando que ele ficará com muito medo ou sem ar, pois o porão tem a mesma pressurização da cabine e é iluminado.

Nada de locais escuros e claustrofóbicos. Pode relaxar que as chances de seu pet estar confortável, na medida do possível, são altas.

Ao chegar no aeroporto da cidade de destino, não procure pelo animalzinho nas esteiras: todas as caixas são colocadas na área de retirada das bagagens. Se o pet não estiver lá, hora de acionar a companhia aérea e ver onde ele foi parar. Nessa situação, embora a primeira reação seja se desesperar, mantenha a calma: você não é obrigado a sair do aeroporto sem seu bichinho e é de total responsabilidade da companhia aérea encontrá-lo o quanto antes.

Mas o “extravio” de animais é muito raro, assim como casos em que o desconforto beira o insuportável. Não tenha medo de levar seu pet, mas se certifique, mais uma vez, de que ele está em plenas condições de aguentar o voo.

Lembre-se que, no fim das contas, o dono é o maior responsável pela experiência do bichinho em uma nova aventura – ainda que, durante o voo, isso fuja um pouco de seu controle.

Comentários


[fbcomments]